Esta Guerra que nos convoca

Bandeira da Ucrânia
Bandeira da Ucrânia

É guerra, sim. Uma guerra cruel, assassina, sem regras nem quaisquer princípios de humanidade.

É uma guerra total. Que nos afecta a todos. Que nos convoca a todos. Que pode durar anos.

Uma guerra absurda, como todas as guerras.

Que é connosco, que diz respeito a todos. Que nos envolve e ameaça, mas que também nos torna mais humanos e solidários.

Assim como a contrainformação, as falsas noticias que levaram ao movimento anti-ciência, anti-história, anti-vacinas, também se assiste agora a uma tentativa de justificação e descriminalização desta guerra, perante a real, brutal, genocida, descomunal força atacante a que todos assistimos em directo.

Também os ativistas da desordem, terroristas da nossa mente, tentaram desviar a nossa ira e revolta, contra o povo russo, até ao ponto de banir livros russos de grandes escritores clássicos, Sinfonias, a incomodar e maltratar pessoas de origem russa noutros países.

O apoio incondicional, total, aos milhares de refugiados ucranianos, é um imperativo urgente, que se está a verificar, efetivamente, por todo o mundo, quer de ordem logística, em saúde e géneros, quer no abrigo e acolhimento em vários países.

Vejamos algumas histórias desta guerra fratricida e extremamente cruel.

Maestro Sokhiev
Maestro Sokhiev demite-se do Teatro Bolshoi e da Orquestra de Toulouse, Em Notícias ao Minuto

Maestro Sokhiev demite-se do Teatro Bolshoi e da Orquestra de Toulouse

O maestro russo Tugan Sokhiev anunciou hoje ter-se demitido das funções de diretor musical do Teatro Bolshoi em Moscovo e da Orquestra Nacional do Capitólio de Toulouse, dizendo-se pressionado a tomar uma posição sobre a invasão russa da Ucrânia. Ler mais em Notícias ao Minuto

Pelo menos 3.500 detidos na Rússia por se manifestarem contra invasão
Pelo menos 3.500 detidos na Rússia por se manifestarem contra invasão

Pelo menos 3.500 pessoas foram hoje detidas em várias manifestações na Rússia a exigir o fim da invasão da Ucrânia, em resposta ao apelo do líder da oposição Alexei Navalny.

Segundo as agências noticiosas russas Tass e Interfax, a porta-voz do Ministério do Interior russo, Irina Volk, disse que pelo menos 3.500 pessoas foram detidas numa série de protestos não autorizados em Moscovo, São Petersburgo e outras cidades russas. Ler mais em Notícias ao Minuto

chegada à Eslováquia do menino de 11 anos que fugiu sozinho
Chegada à Eslováquia do menino de 11 anos que fugiu sozinho

Refugiado de 11 anos chega sozinho à Eslováquia

Um menino ucraniano de 11 anos atravessou a fronteira para a Eslováquia sozinho, com apenas um saco de plástico, o passaporte e um número de telefone escrito na mão, disse hoje a polícia eslovaca à AFP.

“Ele veio sozinho de Zaporizhzhia, porque os seus pais tiveram que ficar na Ucrânia”, disse à agência de notícias francesa a porta-voz da polícia, Denisa Bardyova, acrescentando que o menino, que chegou no sábado, ficou ao cuidado de voluntários, que o alimentaram. Ler mais em Notícias ao Minuto

Maryna chegou a Portugal com o gato e “orgulho no povo ucraniano”

Aos 26 anos, Maryna Snizhynska chegou, sexta-feira, a Portugal como refugiada, fugida da guerra na Ucrânia, e trouxe o gato, esperança, um “enorme orgulho” no povo ucraniano, mas também “sonhos desfeitos”, medo e “muita culpa por estar a salvo”.

À espera tinha o marido, Glib Afendyk, 36 anos, estudante de doutoramento na Universidade do Porto e na cidade desde setembro. Não pensa voltar à pátria para pegar nas armas, admite que não é um herói, mas promete “lutar como puder e ajudar como conseguir” a partir de Portugal.

Aterrorizados com as explosões” e com comida para 10 dias. Animais do zoo de Kiev também sentem a guerra

Kyrylo Trantin passa a mão na tromba de Horace, na esperança de que o gesto possa acalmar o elefante. Com os russos a cercar Kiev, o zoo da cidade fechou as portas aos visitantes. Os animais começam a sentir a falta dessa presença.

Por isso, a equipa com cerca de 50 pessoas continua a trabalhar sem parar, para que os quatro mil animais, de 200 espécies diferentes, sintam o menos possível a guerra humana em seu redor. Com os ataques e bombardeamentos nas proximidades, a tarefa tem sido difícil. “Os animais estão aterrorizados com o som das explosões”, conta.

Leia mais em Cnnportugal.iol.pt
Duas mulheres que fugiram do conflito na Ucrânia chegam à fronteira de Medyka na Polónia, acompanhadas do animal de companhia. (AP Photo/Visar Kryeziu)

IRA rumo à Polónia. Objetivo: doar bens. No regresso, traz 45 pessoas e os seus animais

O Núcleo de Intervenção e Resgate Animal – IRA vai seguir esta quarta-feira viagem rumo à fronteira da Polónia com a Ucrânia, naquela que é a primeira missão internacional do grupo. O objetivo é doar bens de primeira necessidade a refugiados e animais e, no regresso, dar boleia a quem está a fugir da guerra. Incluindo cães e gatos.

O autocarro, já equipado para transportar animais e pessoas, incluindo crianças – aqui, beneficiando do apoio de uma empresa que emprestou cadeiras de segurança para a viagem – parte às 22 horas e vai carregado com bens de primeira necessidade para quem fica na fronteira ou para quem os quer fazer chegar a quem mais necessita na Ucrânia. Leia mais em Cnnportugal.iol.pt

Um pensamento sobre “Esta Guerra que nos convoca

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s