O Terramoto de 1755, óleo sobre tela de c. 1756-1792, de João Glama no MNAA

Agenda Cultural – “Quake” e a questão salarial

O Terramoto de 1755, a emigração e os salários baixos Provavelmente será o Terramoto de 1755 de Lisboa, que se propagou também para o Sul do país, ilhas da Madeira e Açores e Norte de África, registando-se cerca de 90 mil mortos só em Lisboa, a maior catástrofe social, política, económica, mental e filosófica de todo os tempos e com a maior certeza, a causa … Continue a ler Agenda Cultural – “Quake” e a questão salarial

Memorial, Campo de Concentração Nazi, bernswaelz em Pixabay.com

Uma Vida de mar – 7

Continuação da publicação de excertos da epopeia marítima, do meu amigo, Comandante da Marinha Mercante, Jorge Manuel Correia Tomé. A sua atividade estendeu-se desde os anos 40 aos anos 80, do século passado. UM CHEFE DE MÁQUINAS RUSSO, QUE CONHCI EM 1955 Estando no navio COPSTAR, em 1955, conheci um russo, que era então chefe de máquinas desse navio, arvorando bandeira da Costa Rica, que … Continue a ler Uma Vida de mar – 7

Santiago do Cacém, aguarela, Guy MOLL, commons.wikimedia.org

Domingo – Manuel da Fonseca

Manuel da Fonseca (1911-1993), nascido em Santiago do Cacém, foi poeta, contista, romancista, cronista e activista político, tendo colaborado em diversas publicações. Na obra de Manuel da Fonseca, considerado um dos vultos do neorrealismo literário português, o Alentejo é um lugar de crucial importância no seu universo, como vemos pela imagem que o autor projecta, assaz singular, íntima, profusamente descritiva, da província durante o Estado … Continue a ler Domingo – Manuel da Fonseca