Charles Trenet no Canadá

Uma canção – Que reste-t-il de nos amours ?

Amo a canção francesa, a língua francesa e esta canção, em especial. Tive o privilegio de pertencer a uma geração, em que a televisão pública, só existia essa, era um meio de divulgação de conteúdo de qualidade, sem critérios de lucro e do preconceituoso “gosto das massas”, sem filtros raciais, linguísticos ou de género musical. Em pleno fascismo!Hoje será 99% de música anglo-saxónica e preferencialmente … Continue a ler Uma canção – Que reste-t-il de nos amours ?

Vídeo de ucraniano_recitando_poema_em_meio_da_guerra

Amor em tempos de cólera

Não é o Romance  «O Amor nos Tempos de Cólera» de Gabriel García Márquez. É o Amor nos Tempos da Cólera, leia-se, da Guerra. E, parafraseando, Glória à Ucrânia! ESPERA-ME, poema de Konstantin Simonov (1915-1979), poeta, escritor e dramaturgo russo Espera-me. Até quando, não sei. Um dia, voltarei. Espera-me pelas manhãs vazias, nas tardes longas e nas noites frias, e, outra vez, quando o calor voltar. Ai, nunca … Continue a ler Amor em tempos de cólera

Cão à trela, pxhere.com

Maia e o Direito dos animais

A Maia é a minha cadelinha, já tinha feito um post sobre ela, e um vídeo, mas ela aqui vai ser o mote para refletir sobre o direito dos outros animais, não humanos, sobretudo sobre o cão. “Quem não tem filhos arranja cadilhos”, “quem tem medo arranja um cão”, “o cão dá estatuto”, etc são alguns dos clichés automáticos que as pessoas dizem. A história … Continue a ler Maia e o Direito dos animais

Lua, Photo by Tony Fisher from Pexels

Lua Nha Testemunha

1986. Ele veio de férias a Portugal, vindo de Moçambique. “Desculpe, a menina não esteve em Moçambique?” . Oh não… pensei eu, sentada à ioga, como era costume, em cima de um bloco de pedra, na entrada de um centro comercial. Estava esperando pela Luísa, minha querida amiga, que tinha ido procurar trabalho numa livraria do centro. Ele, não voltou mais, a Moçambique. E a … Continue a ler Lua Nha Testemunha