cena do filme "O ano da morte de Ricardo Reis" de João Botelho

‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’ do realizador João Botelho

O filme ‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’, do realizador João Botelho, baseado na obra de José Saramago, venceu o prémio de melhor filme na competição internacional do Festival Efebo D’Oro, em Palermo (Itália). Escrito em 1984, por José Saramago, foi adaptado ao cinema por João Botelho. Um filme onde podemos ver Chico Diaz, Luís Lima Barreto, Catarina Wallenstein, Victoria Guerra, Hugo Mestre Amaro, … Continue a ler ‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’ do realizador João Botelho

Retrato de Maria Teresa Horta no mural sobre as "Mulheres da Revoluçâo de Abril", de Elton Hipólito (2019)

Um poema de Maria Teresa Horta

Maria Teresa Horta, Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, conhecidas pelas Três Marias, autoras da obra Novas Cartas Portuguesas (1972), de teor feminista e de denuncia da repressão social, politica e colonialista, durante a ditadura em Portugal, que lhes valeu um processo em tribunal, tendo sido somente absolvidas após o 25 de Abril de 1974. Anjos da memória – V Os anjos alados da … Continue a ler Um poema de Maria Teresa Horta

Fernando Pessoa, Bluriel, flickr.com

O sonho, Fernando Pessoa, B. Sassetti

Maria Zambrano afirma que ao contrário do que normalmente pensamos, o estado de sonho, é o estado inicial da nossa vida, É do sonho que acordamos para o mundo; a vigília advêm num segundo momento. Abandonamos o sonho pela vigília e não o inverso. Maria João Neves Bernardo Sassetti, “O sonho dos outros“, Album Nocturno, 2002 Do Livro do Desassossego, Bernardo Soares, Fernando Pessoa (sugestão, ouvir o Bernardo … Continue a ler O sonho, Fernando Pessoa, B. Sassetti

O Deus da Pequenas Coisas, Arundhati Roy

A minha estante de livros – 2

E venham mais 5. 6 – Jorge Luis Borges – Ficções (1941) Edição “Livros do Brasil”, 1969 Capa de Lima de Freitas Prólogo As oito peças deste livro não requerem maior elucidação. A oitava (O Jardim de caminhos que se bifurcam) é policial; os seus leitores assistirão à execução e a todos os preliminares de um crime, cujo propósito não ignoram, mas que não compreenderão, … Continue a ler A minha estante de livros – 2

Bairro de lata. Portugal, Biblioteca de Arte / Art Library Fundação Calouste Gulbenkian, Mário Novais, (anos 60 ?) flickr.com

Despejos, Bairros de Lata & Especulação

Vemos, ouvimos e lemos, como dizia a Sophia de Mello Breyner, não podemos ignorar Vemos Os nossos vizinhos, amigos, familiares, serem despejados à força. Eu vi, pelo menos uma família, em que atiraram as coisas de qualquer maneira para dentro do camião, sem o mínimo cuidado, e no caso de um rapaz, despejaram todos os seus haveres, livros, discos, roupa, todo o recheio, menos móveis, … Continue a ler Despejos, Bairros de Lata & Especulação

Banco de Jardim, dariusz_pexels.com

No Banco de Jardim – Carlos Drummond de Andrade

Os bancos de jardim. São, camas, casas, mesas, meditação, poiso de bicharada, obras de arte, solidão, leituras, amizades, amores, encontros, descanso, sombra, contemplação, tanta coisa. Nos jardins, onde a natureza ordenada encontra a outra, a selvagem. Onde nos sentimos bem. No Banco de Jardim – Carlos Drummond de Andrade No banco de jardim, o tempo se desfaz e resta entre ruídos a corola de paz. … Continue a ler No Banco de Jardim – Carlos Drummond de Andrade

Convento Nossa Senhora Arrábida

Sebastião da Gama

“Pelo sonho é que vamos” O Poeta da Serra da Arrábida, onde vivia, guardião da sua Serra-Mãe, ambientalista fervoroso, esteve na origem, da Liga para a Protecção da Natureza, em 1948, a primeira associação ecologista portuguesa. Apesar da morte, estar presente, ainda que não de auto comiseração, devido à doença que o levaria muito novo, Sebastião da Gama, exaltava a vida e a natureza, com um … Continue a ler Sebastião da Gama

Discos de Bernardo Sassetti

O assassínio da vida

Não, não estou numa fase negra, nem de luto, só se for pelo SNS (serviço nacional de saúde), nem penso em suicídio, só quando me massacram acima dos limites, lá na diálise, o que só dura uma hora ou duas, depois passa.É que, deparei-me com o Bernardo Sassetti, a tocar a Noite, do filme Alice, filme multipremiado, que nunca vi, no You Tube, e fiquei … Continue a ler O assassínio da vida

Frutos da Taxus baccata,Teixo

Árvores de Portugal – Taxus baccata

E um poema de T. S. Eliot A Taxus baccata, de nome comum, Teixo, é uma espécie de gimnospérmicas arborescentes da família das taxáceas. As folhas são estreitas e aguçadas, sendo venenosas, contem taxina, podendo ser fatais se ingeridas em grande quantidade. O nome do género Taxus, deriva do grego Taxis, que significa “linha” pela disposição das suas folhas. Taxus pela dureza, resistência e flexibilidade da sua madeira para fazer … Continue a ler Árvores de Portugal – Taxus baccata

Lua, Photo by Tony Fisher from Pexels

Lua Nha Testemunha

1986. Ele veio de férias a Portugal, vindo de Moçambique. “Desculpe, a menina não esteve em Moçambique?” . Oh não… pensei eu, sentada à ioga, como era costume, em cima de um bloco de pedra, na entrada de um centro comercial. Estava esperando pela Luísa, minha querida amiga, que tinha ido procurar trabalho numa livraria do centro. Ele, não voltou mais, a Moçambique. E a … Continue a ler Lua Nha Testemunha

Menina no ballet

A dança

Não há nada melhor que dançar! Danço e me desentristeço, levito. Eu tinha que pôr o Erik Satie a dançar. É minimalista, mas eu adoro esta música “Gymnopedie No 1”. Assim como a dança. E identifico-me com a menina do poema. Sempre achei que o meu futuro, estava na dança ou no circo… é pena. A bailarina, de Cecília Meireles (poemas para crianças) Esta menina … Continue a ler A dança

Gaivota a voar

Volare

Descobri, quando procurava musicas de uso livre, esta bonita melodia, de Dee Yan-Key, e que me sugeriu, o voo das aves, esse dote fascinante e complexo. Aliás, é daí que vem a origem da palavra inveja… e da inveja, por vezes, sobrevêm o ódio, será por isso que os matam, os alvejam ? Mesmo sabendo que são espécimes em perigo? Música: Adagio primaverile por Dee … Continue a ler Volare