Luís Carlos Patraquim

7 Poemas de Luís Carlos Patraquim, poeta Moçambicano, para quem a “poesia é um estado contraditório de maravilhamento e de angústia”, um dos maiores da Língua Portuguesa. Patraquim tem uma arte poética bem calibrada, capaz de escrever poemas curtos muito expressivos e quase expressionistas, verbalmente densos e imprevisíveis, com uma aposta imagística eficaz. São poemas […]

Ler Mais

Uma Foto Um Poema

Oliveira centenária de Alqueva, morta, com Videira Trombeta (Campsis radicans)

Manoel de Barros do “O Livro das Ignorâncias“ IX Para entrar em estado de árvore é preciso partir de um torpor animal de lagarto às 3 horas da tarde, no mês de agosto. Em 2 anos a inércia e o mato vão crescer em nossa boca. Sofreremos alguma decomposição lírica até o mato sair na […]

Ler Mais

A Alquimia do Sonho

Foto de António Gedeão

Canção de Manuel Freire sobre o poema “Pedra Filosofal”, publicado no livro Movimento Perpétuo, em 1956, do pedagogo, investigador de história da ciência, professor de físico-químicas e poeta, António Gedeão (Rómulo Vasco da Gama de Carvalho 1906 – 1997) Pedra Filosofal Eles não sabem que o sonho é uma constante da vida tão concreta e definida como outra […]

Ler Mais

25 de Abril

Parque dos Poetas (Sophia de Mello Breyner Andresen), Oeiras

1974 Esta é a madrugada que eu esperava O dia inicial inteiro e limpo Onde emergimos da noite e do silêncio E livres habitamos a substância do tempo Sophia de Mello Breyner Andresen, Poema 25 Abril 2021

Ler Mais

Poesia de Herberto Helder

Pintura de Herberto Helder

Minha cabeça estremece, poema dito pelo próprio, com Música: Rodrigo Leão e Gabriel Gomes Herberto Hélder Luís Bernardes de Oliveira (Funchal,1930-2015), poeta português. Poemacto (II), Contraponto 1961. Faixa do disco “Os Poetas: Entre nós e as palavras” (Sony, 1997). II Minha cabeça estremece com todo o esquecimento.Eu procuro dizer como tudo é outra coisa.Falo, penso.Sonho […]

Ler Mais

Um poema de Luís Filipe Sarmento

Pode ler uma entrevista, e saber mais sobre Luís Filipe Sarmento em Palavra Comum ~ Revista galega lusófona de artes e letras Casa dos Mundos Irrepetíveis Se digo mãe, digo Itália; se digo avó, digo ilha,se digo bisavô, digo Galiza; se digo trisavó, digo Françaum tetravô na Grécia outro em Damasco;um perdido na Índia cigana […]

Ler Mais

Um poema

Poesia visual de Augusto de Campos, poeta brasileiro

Ler Mais

João Luís B. Guimarães

O poeta João Luís Barreto Guimarães venceu o Willow Run Poetry Book Award de 2020, com o seu livro Mediterrâneo, de 2016, uma compilação de poemas escritos entre 2012 e 2015,  tendo ganho, também com este livro, em 2017, o Prémio Nacional de Poesia António Ramos Rosa, caracterizado pelo júri como “uma deambulação pela história […]

Ler Mais

Um poema

Amizade de menina com bichinho selvagem

Carlos Drummond de Andrade O Constante Diálogo Há tantos diálogos Diálogo com o ser amado                   o semelhante                   o diferente                   o indiferente                   o oposto                   o adversário                   o surdo-mudo                   o possesso                   o irracional                   o vegetal                   o mineral                   o inominado Diálogo consigo mesmo                   com a noite                   os astros                   os mortos                   as ideias                   o sonho                   o passado                   o mais […]

Ler Mais

Um poema

Miguel Torga

MIGUEL TORGA, sei um ninho Sei um ninho. E o ninho tem um ovo. E o ovo, redondinho, Tem lá dentro um passarinho Novo. Mas escusam de me atentar: Nem o tiro, nem o ensino. Quero ser um bom menino E guardar Este segredo comigo. E ter depois um amigo Que faça o pino A […]

Ler Mais

Um poema

Mário Quintana, poeta, tradutor e jornalista brasileiro

Mario Quintana Poeminho do Contra Todos esses que aí estãoAtravancando meu caminho,Eles passarão…Eu passarinho!

Ler Mais

um poema

Cecília Meireles 4º Motivo da rosa Não te aflijas com a pétala que voa: também é ser, deixar de ser assim. Rosas verá, só de cinzas franzida, mortas, intactas pelo teu jardim. Eu deixo aroma até nos meus espinhos ao longe, o vento vai falando de mim. E por perder-me é que vão me lembrando, […]

Ler Mais