Foto de Thiago de Mello

Um poema – Thiago de Mello

Amadeu Thiago de Mello foi um poeta e tradutor brasileiro natural do Estado do Amazonas, é um dos poetas mais influentes e respeitados no país, reconhecido como um ícone da literatura regional. Tem obras traduzidas para mais de trinta idiomas. escritas.org Como muitos outros escritores, poetas, cientistas, jornalistas, etc, foi um homem que se debateu pela Amazónia e pelos direitos do povo indígena, tendo sido … Continue a ler Um poema – Thiago de Mello

Ilustração do Poema do blogue "Discretamente" de Dulce Delgado

Assim nasce a poesia

Não podia deixar de publicar este original, divertido, terno e belo poema de Dulce Delgado, do Blogue discretamente. Para todas as idades. Inquieto, deambulava o P pelo mundo das letras da escrita e da aventura. Num atalho encontrou o O e logo a seguir o E, o que gerou confusão no momento de decidir qual a ordenação deste trio em formação. As hipóteses eram demais… … Continue a ler Assim nasce a poesia

Retrato de Maria Teresa Horta no mural sobre as "Mulheres da Revoluçâo de Abril", de Elton Hipólito (2019)

Um poema de Maria Teresa Horta

Maria Teresa Horta, Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, conhecidas pelas Três Marias, autoras da obra Novas Cartas Portuguesas (1972), de teor feminista e de denuncia da repressão social, politica e colonialista, durante a ditadura em Portugal, que lhes valeu um processo em tribunal, tendo sido somente absolvidas após o 25 de Abril de 1974. Anjos da memória – V Os anjos alados da … Continue a ler Um poema de Maria Teresa Horta

Banco de Jardim, dariusz_pexels.com

No Banco de Jardim – Carlos Drummond de Andrade

Os bancos de jardim. São, camas, casas, mesas, meditação, poiso de bicharada, obras de arte, solidão, leituras, amizades, amores, encontros, descanso, sombra, contemplação, tanta coisa. Nos jardins, onde a natureza ordenada encontra a outra, a selvagem. Onde nos sentimos bem. No Banco de Jardim – Carlos Drummond de Andrade No banco de jardim, o tempo se desfaz e resta entre ruídos a corola de paz. … Continue a ler No Banco de Jardim – Carlos Drummond de Andrade

Convento Nossa Senhora Arrábida

Sebastião da Gama

“Pelo sonho é que vamos” O Poeta da Serra da Arrábida, onde vivia, guardião da sua Serra-Mãe, ambientalista fervoroso, esteve na origem, da Liga para a Protecção da Natureza, em 1948, a primeira associação ecologista portuguesa. Apesar da morte, estar presente, ainda que não de auto comiseração, devido à doença que o levaria muito novo, Sebastião da Gama, exaltava a vida e a natureza, com um … Continue a ler Sebastião da Gama

Gaivota a voar

Volare

Descobri, quando procurava musicas de uso livre, esta bonita melodia, de Dee Yan-Key, e que me sugeriu, o voo das aves, esse dote fascinante e complexo. Aliás, é daí que vem a origem da palavra inveja… e da inveja, por vezes, sobrevêm o ódio, será por isso que os matam, os alvejam ? Mesmo sabendo que são espécimes em perigo? Música: Adagio primaverile por Dee … Continue a ler Volare

Imagem para o poema de Al Berto

Poesia de Al berto

Poema de Al Berto, dito pelo próprio. CD “Os poetas” . “Há-de flutuar uma cidade no crepúsculo da vida” (Al Berto), disco “entre nós e as palavras” (1997) Música de Francisco Ribeiro “Há-de flutuar uma cidade no crepúsculo da vida” há-de flutuar uma cidade no crepúsculo da vida pensava eu…como seriam felizes as mulheres à beira-mar debruçadas para a luz caiada remendando o pano das … Continue a ler Poesia de Al berto

Livro A Guerra e os Homens, Coletânea

A minha Estante de Livros -1

Não é por vaidade ou pretensão. Até porque a memória deles já é muito escassa, mas alguma coisa deve ter ficado, espero, ainda que pouco visível… É preciso evocá-los e abri-los de vez em quando. Li muito, até começar a fazer hemodiálise, depois deixo quase tudo a meio, ou nem isso. Amo os livros, os bons livros, quase não dormia, por vezes, até chegar ao … Continue a ler A minha Estante de Livros -1

Luís Carlos Patraquim

7 Poemas de Luís Carlos Patraquim, poeta Moçambicano, para quem a “poesia é um estado contraditório de maravilhamento e de angústia”, um dos maiores da Língua Portuguesa. Patraquim tem uma arte poética bem calibrada, capaz de escrever poemas curtos muito expressivos e quase expressionistas, verbalmente densos e imprevisíveis, com uma aposta imagística eficaz. São poemas a que podemos aceder apenas pela sua força verbal, estribada … Continue a ler Luís Carlos Patraquim

Foto de António Gedeão

A Alquimia do Sonho

Canção de Manuel Freire sobre o poema “Pedra Filosofal”, publicado no livro Movimento Perpétuo, em 1956, do pedagogo, investigador de história da ciência, professor de físico-químicas e poeta, António Gedeão (Rómulo Vasco da Gama de Carvalho 1906 – 1997) Pedra Filosofal Eles não sabem que o sonho é uma constante da vida tão concreta e definida como outra coisa qualquer, como esta pedra cinzenta em que me sento … Continue a ler A Alquimia do Sonho

Pintura de Herberto Helder

Poesia de Herberto Helder

Minha cabeça estremece, poema dito pelo próprio, com Música: Rodrigo Leão e Gabriel Gomes Herberto Hélder Luís Bernardes de Oliveira (Funchal,1930-2015), poeta português. Poemacto (II), Contraponto 1961. Faixa do disco “Os Poetas: Entre nós e as palavras” (Sony, 1997). II Minha cabeça estremece com todo o esquecimento.Eu procuro dizer como tudo é outra coisa.Falo, penso.Sonho sobre os tremendos ossos dos pés.É sempre outra coisa, umasó … Continue a ler Poesia de Herberto Helder